Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Panorama Geral - Início de Temporada

Para começar a nova fase do blog, analisaremos o início de temporada dos principais clubes do Brasil e discorrer sobre o que de melhor está acontecendo no Mundo do Futebol.
Aqui no Estado de São Paulo, o Campeonato Paulista tem o Santos como o líder. A equipe da Vila Belmiro ainda não apresentou seu melhor futebol, mas mostrou uma grande evolução com a chegada de bons reforços. Montillo, a principal estrela destes, vem ganhando entrosamento com o craque Neymar. Mas quem está chamando a atenção é o meia Cícero, com sua rápida adaptação e seu faro de gol apurado. O Campeão Mundial mostrou Zizao e o time reserva para o Estado nas primeiras rodadas. Agora, já com os titulares, vem tendo boas atuações, além da expectativa por Pato, que seria um fenômeno sem as constantes lesões. O São Paulo está oscilante, sofrendo com as fracas partidas que Paulo Henrique Ganso vem fazendo. Pelo menos garantiu a classificação para a segunda fase da Libertadores. Já Gilson Kleina sua a camisa para encaixar o seu Palmeiras. A chegada de alguns reforços pode melhorar um time, que está em um nível médio, se comparado à maioria dos grandes times do país. O craque argentino Barcos é a aposta de salvação.
No estadual mais charmoso do país, o Campeonato Carioca, o jovem Rafinha e o veterano e já consagrado Seedorf estão brilhando, para a alegria de flamenguistas e botafoguenses, respectivamente. Hernane, também do Fla é outro destaque, com bom futebol. O Campeão Brasileiro, Fluminense está mais preocupado com a Copa Libertadores, e está poupando alguns jogadores e dando condições de jogo para outros. Já o Vasco da Gama refez sua equipe, que demorará para adquirir entrosamento, apesar de conter bons nomes, como Pedro Ken e Leonardo.
O Gauchão teve poucos destaques, mas o Grêmio já penou nessa temporada ao passar (no sufoco) pela LDU, em duas partidas muito boas, na Pré-Libertadores. Contratou bons nomes, como Vargas e Welliton e é um dos times mais fortes do Brasil, atualmente. O Internacional, agora com Dunga trouxe jogadores como Willians, Gabriel e Vitor Júnior para reforçar um time recheado de estrelas.
E os grandes de Minas Gerais vêm preparados para o ano de 2013. O Atlético Mineiro manteve um elenco excelente e ainda trouxe o artilheiro Diego Tardelli. E o Cruzeiro vem para não repetir as atuações dos dois últimos anos, com ótimos reforços, para quase todas as posições. Destaco, entre eles, os ex-santistas Bruno Rodrigo e Henrique e o meia Diego Souza.
Enquanto isso, a Europa se prepara para as prováveis batalhas das oitavas de final da Liga dos Campeões. Jogos como Barcelona X Milan e Real Madrid X Manchester United prometem agitar todo o mundo.

Depois de mais de 2 anos, a volta...

Sete de Dezembro de 2010. Era a primeira Terça-Feira após o Brasileirão de 2010, que havia acabado com vitória do Fluminense. Nessa data, o FTPD registraria a sua última postagem até então, e deixaria de ser atualizado, devido, principalmente à desgastante rotina de seu dono.
Desde então, muita coisa rolou: Troquei de ''futura profissão'', sendo que, em vez de investir no Jornalismo, preferi o Direito, apesar de ser ainda um pré-vestibulando, ocorreram diversas mudanças no Brasil e no restante do planeta (troca de Presidente, morte de Bin Laden, Primavera Árabe, Crise na Zona do Euro, mas não entraremos neste mérito...), e o mundo do futebol movimentou-se bastante.
Dentre as mudanças ocorridas no esporte mais popular do Brasil, temos os títulos sul-americanos de Santos e Corinthians, com resultados opostos nas respectivas decisões de Mundiais (O Santos foi goleado pelo fantástico Barcelona/O Corinthians venceu na garra o bom time do Chelsea), dois fracassos da Seleção Brasileira de Mano Menezes (Copa América e Jogos Olímpicos) e mais um rebaixamento do alviverde Palmeiras no Campeonato Brasileiro).
Pois é, e o Futebol Total Por Dan está de volta, e com alguma experiência adquirida nesses dois anos, prometo textos melhores...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Brasileiro 2010- Análise Final

   O segundo campeonato Brasileiro da era dos pontos corridos vencido por clubes cariocas foi empolgante, porém nos fez repensar a ideia da volta dos mata-matas. Com vários vacilos,dança das cadeiras dos treinadores, suspeitas de entregas, pontos desperdiçados de bobeira e craques argentinos, no final, realmente o melhor venceu, o Fluminense Football Club.
  O campeonato começou primeiro para equipes como Corinthians, Botafogo e Vasco que haviam sido eliminados precocemente de suas competições, e eles começaram com tudo. Vencendo suas partidas, e permanecendo na tropa de frente da tabela.
 Passadas algumas rodadas, Cruzeiro, Palmeiras, Flamengo, Fluminense, Galo e Vasco também dedicaram-se 100% ao Brasileirão, deixando a disputa cada vez mais acirrada. A única exceção era o Santos, que mesmo disputando a Copa do Brasil, vinha bem no Brasileiro. E então na parada do campeonato para a disputa da Copa do Mundo, o G-4 era formado por Corinthians, que mantinha uma certa regularidade com Mano Menezes, Ceará, que até então surpreendia sob o comando de PC Gusmão, com uma defesa sólida , Fluminense de Muricy, que estava em subida de produção e o Santos, que continuava com o bom futebol do Paulistão. Na parte de baixo, os três Atléticos já estavam na zona da degola.
   Após a Copa, Libertadores e Copa do Brasil foram decididos, e Santos e Internacional saíram vencedores e classificados para a Libertadores 2011, abrindo mão do campeonato, e fazendo Grêmio e São Paulo focar-se exclusivamente para o torneio.
  À essa altura, Fluminense e Corinthians disputavam a liderança ponto a ponto , até Mano Menezes rumar para a Seleção Brasileira, e o cargo de técnico do Timão ser ocupado por Adílson Batista. Estes dois times, os dois já classificados para a Libertadores, o Furacão e o Botafogo eram os mais regulares do campeonato, enquanto o Cruzeiro, que acabara de contratar Cuca vinha crescendo. Na parte de baixo, o Galo era figura constante na zona de rebaixamento, assim como o Goiás e o Atlético Goianiense, que não conseguia sair da lanterna e esta situação permaneceu até o fim do primeiro turno.
  Entretanto, o segundo turno foi de arrepiar. Adílson Batista começara a dar padrão de jogo para o Corinthians que recuperou a liderança, após um período irregular do Flu. Venceu seu principal concorrente para a Taça e seu rival, Santos. Aliás, o time da Baixada passava por momentos turbulentos, causados pelas peripécias de Neymar e pela demissão de Dorival Júnior. Continuando aqui em SP, os vizinhos de muro Palmeiras e São Paulo não encontravam seu melhor esquema e penavam nas posições intermediárias da tabela, vendo o sonho da Libertadores se distanciando. Embalado por Walter Montillo, o carrasco do Flamengo na Libertadores, o Cruzeiro já se fixava como um dos favoritos para o caneco enquanto o então atual detentor da taça lutava contra a degola. A zona perigosa tinha o Atlético de Goiás subindo e o Grêmio Prudente descendo.
  Todos os times passaram por suas épocas de instabilidade, mas sem duvida, a fase do Corinthians foi a mais devastadora. Com várias lesões de jogadores, o Timão ficou sete jogos sem vencer, perdendo em casa para o Atlético-GO, e vendo o título ficar cada vez mais longe. Mesmo que o Fluminense ainda estivesse irregular, tendo tomado 3 X 0 em casa para o então morto Santos. Aliás, nesta época, os torcedores do time da Vila ficaram empolgados com a possibilidade da conquista de mais um título na temporada, mas logo o time desistiu da competição, após tomar virada do Prudente em pleno estádio Urbano Caldeira. Era a época do Cruzeiro que chegou a liderar a competição e do São Paulo, que melhorou depois da chegada de Carpegiani. Dorival havia arrumado a casa no Atlético-MG e o time saiu da zona perigosa.
  Quando Adílson foi demitido do Timão,e Tite assumiu, o campeonato tomou seu rumo final. O time voltou a embalar, assim como seus principais jogadores, o caso de Ronaldo, que fez seu time jogar.  O Fluminense também vinha bem nesta época, no ritmo de Dario Conca, e por fora corria o Cruzeiro, que não se distanciava dos primeiros colocados. Na região da Libertadores, brigavam apenas o Grêmio, que arrancou após Renato Gaúcho chegar, Furacão e Botafogo que oscilavam. E lá embaixo, Prudente e Goiás já estavam condenados, e as duas vagas restantes seriam disputadas por Avaí, Vitória, Flamengo, Atlético-GO e Guarani.
  Chegaram então as quatro últimas rodadas do Brasileiro. Corinthians e Cruzeiro se enfrentaram no Pacaembu e a equipe paulista venceu com um gol originado por um pênalti polêmico, gerando ira entre os mineiros, e os deixando longe do caneco. Um dia depois, o líder Flu empatou em casa com o Goiás e se complicou na disputa. Dois de seus últimos três adversários seriam rivais do Timão, que por sua vez tinha um caminho fácil. Na rodada seguinte, o Tricolor das Laranjeiras goleou o Tricolor do Morumbi e dependia de um tropeço corintiano para retomar a ponta. E isto aconteceu. No Barradão, a equipe de Tite até saiu na frente, mas sofreu o empate do Vitória e perdeu a liderança. Ambas as equipes venceram seus compromissos na penúltima rodada e chegariam na última para enfrentar adversários rebaixados. Pela chance de vaga na Libertadores, o duelo seria entre Grêmio e Botafogo, com vantagem do empate para os gaúchos e contra a degola seria Vitória e Atlético-GO, com vantagem do empate para os goianos.
Timão precisava disso e mais um tropeço do tricolor carioca; a Raposa precisava da vitória e do tropeço dos dois. Após várias reviravoltas, o Fluzão derrotou o Guarani e tornou-se Campeão Brasileiro pela segunda vez, e a Raposa ficou com o vice. Grêmio chegou em quarto e torcerá para o Independiente na final da Sulamericana e o Vitória amargará a Segundona ano que vem.
  Excelente campeonato, que teve como seleção:
 
Fábio (Cruzeiro)
Mariano (Flu)
Alex Silva (São Paulo)
Dedé (Vasco)
Roberto Carlos (Corinthians)
Jucilei (Corinthians)
Elias (Corinthians)
Montillo (Cruzeiro)
Conca (Flu), o craque do campeonato
Neymar (Santos)
Jonas (Grêmio)
Técnico: Muricy Ramalho (Flu)
Revelação: Bruno César (Corinthians)

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Corinthians, Rumo ao Penta!?

Com este título tendencioso, meus amigos santista dirão que eu virei a casaca, logo à 1 hora do clássico. Os corintianos dirão que eu não fiz mais que a obrigação pois só falava do Santos. Nenhum dos dois. Por incressa que parivel esta postagem é meramente imparcial. São opiniões de quem realmente gosta e entende de futebol, e reconhece que um time está sendo superior.
 Os escritos e a exclamação são pelo fato do Corinthians estar deitando e rolando no Campeonato. Não, não está passando como um trator pelos seus adversários, muito longe disso. É um time consistente, que aproveita todos os espaços do campo e brechas do adversário. Nada em seu time é excepcional, com exceção de Chicão,Roberto Carlos e talvez, Bruno César. Mas tem ''os melhores jogadores medianos do Brasil''. Ou alguém vai dizer que Paulinho, Ralf, Elias, Iarley, Jorge Henrique e o goleiro Júlio César são craques? Passam longe deste adjetivo, mas tem uma vontade que se transforma em técnica e faz o time crescer. E olha que Ronaldo nem está jogando. O Timão de Adílson parece ter decorado a fórmula dos pontos corridos: 1X0 = 2X1 = 5X0 = 8X1... o que importa são os três pontos, ora essa.
 A interrogação é justamente pelo pequeno número de craques no time, uma vez que medianos podem oscilar e cair de produção. Não se esqueça do fenômeno Palmeiras 2009...

2010 seRIA perfeito para os santistas

''Eu fiquei indignado

Ele ficou indignado
A massa indignada
Duro de tão indignado''

É...a torcida (consciente) do Santos sente-se como o Skank sentia, logo no início da carreira: indignada. O time conquistou o Paulistão, em uma final eletrizante contra o Santo André, conquistou a Copa do Brasil após eliminar Atlético Mineiro, Grêmio e o Vitória na final. Estava relativamente bem no Brasileirão, atrás do título, o que não era obrigação, uma vez que viu Robinho, André e Wesley irem embora , O melhor do time, Paulo Henrique Ganso lesionar-se gravemente e o reforço Keirrison fracassar. Estava tudo indo muito bem.
Até quando Neymar resolveu chamar a atenção. No começo eram brincadeiras, um lençol aqui, uma discussão ali. Nada de mais para um garoto de 18 anos, que virou rico da noite para o dia e estava assumindo responsabilidades maiores em seu time e na Seleção. Mas de repente, o garoto ficou ''revolts'' como diriam na linguagem dos coloridos. Começou a desreispeitar adversários, humilhá-los em algumas oportunidades...nada que não pudesse ser controlado, uma vez que ''Ney'' estava bem em campo com a camisa de seu time. Para a partida contra o Atlético Goianiense, na Vila, foi instruído a não reclamar com o juiz: isto deu certo, não deu um pio. Contra o juiz. Porque contra aqueles que sempre o apoiaram, como o (ex)técnico Dorival Júnior que o impediu de bater um pênalti, já que seu aproveitamento era baixo. O resto desta triste história para santistas, como eu, todos já sabem, e ela terminou junto com as alegrias de um ano QUASE perfeito para quem já estava desanimado com futebol.

Agora, não poderia deixar de falar:

Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro praticamente apagou tudo o que tinha feito em seu pouco tempo de gestão, após uma decisão equivocadíssima.
Dorival provavelmente irá para o São Paulo, e se dará bem por lá, torcerei por ele.

 Ahh, e Libertadores do ano que vem...Podem(os) esquecer!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Final da Copa do Brasil amanhã...

  Amanhã, dia 4 de Agosto de 2010, será o dia mais importante para Vitória e Santos. Os 90 minutos da partida determinarão a sorte de ambos os times para o restante do ano e parte da próxima temporada. O alvinegro praiano leva vantagem, não tomou gols em casa e ainda fez dois. Mas o Vitória virá com tudo, e com o apoio de sua torcida.
  No primeiro jogo, o Santos fez a lição de casa, entretanto poderia ter matado a decisão. O importante para os santistas foi ver seu time voltando a jogar um futebol bonito e convincente. Os baianos encolheram-se e não assustaram nem um pouco o goleiro Rafael, que aliás está fechando o gol santista. O outro goleiro, Lee do Vitória teve muitos méritos ao acertar o canto do pênalti de Neymar.
  Dessa vez os nordestinos desejam uma sorte melhor. O ídolo e capitão Viáfara volta ao gol e o artilheiro Júnior vai para o jogo, no lugar do suspenso Schwenck. Vanderson também não joga. Do lado do Peixe, muita confiança e otimismo. Vai completo para o duelo, com as voltas de Léo e Dracena. O episódio da Twittcam indiscreta não parece abalar os comandados de Dorival Júnior, que sonha em conquistar seu segundo título no comando do Santos.
  Falando do jogo, o segredo será o jeito como cada uma das equipes se comportará nos primeiros quinze minutos. Para o Santos, um gol praticamente liquida a fatura. Se o Vitória fizer um gol rápido, virá para cima, e não sei se a instável e desprotegida defesa santista. Mas se chegar na metade da primeira etapa sem ter feito um gol, começa a ansiedade, e os atletas irão querer atacar de qualquer maneira, deixando espaços na defesa para o bom contra-ataque do Santos, que fez dois gols no Mineirão e três no Olímpico.
 Será um jogo que deve entrar para a história, e colocará Santos ou Vitória no grupo dos campeões da Copa do Brasil, junto com Grêmio, Cruzeiro, Corinthians, Palmeiras, Flamengo, Fluminense, Juventude, Criciúma, Internacional, Paulista de Jundiaí e Santo André.
  Não preciso nem dizer para qual time torcerei...

TIMES:

VITÓRIA: Viáfara, Nino Paraíba, Anderson Martins, Wallace e Egídio; Uelliton, Fernando, Neto Coruja e Ramón Menezes; Elkesson e Júnior
Técnico: Ricardo Silva

SANTOS: Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley e Paulo Henrique Ganso; Robinho, Neymar e André.
Técnico: Dorival Júnior

domingo, 11 de julho de 2010

Bom...esperemos mais quatro anos novamente...

Infelizmente não deu para comentar jogo a jogo, dia-a-dia, ou nem mesmo um comentário qualquer, então, passaremos a régua:

A primeira Copa do Mundo sediada na África e ganha pela ESPANHA foi ótima.

Resgatou a força do Uruguai, a primeira potência do futebol mundial, bicampeã, que chegou às semifinais da Copa, com méritos, e com o craque da Copa, Diego Forlán.

Revelou grandes nomes do futebol mundial, como o bom Luís Suárez, uruguaio do Ajax, que fez gols e ainda salvou sua seleção nas quartas. A dupla Thomas Müller e Mesut Özil, alemães novinhos, que ainda têm várias Copas pela frente, e modificaram a forma da Alemanha jogar. E tem mais, na novata seleção alemã, como o volante Khedira, que mesmo sendo o primeiro volante, sempre chegava para atacar. KP Boateng jogou um futebol excelente, e levou Gana longe. O coreano Park Chu-Young e o japonês loirinho Honda mostraram que o futebol da Ásia não vive só de velocidade, mas sim de (muita) habilidade, fazendo suas seleções, realizarem suas melhores campanhas, com exceção do Mundial de 2002, que sediaram. Alexis Sanchez é pequenino, mas abusado, e resgatou o bom time chileno. Quando todos falavam de Cristiano Ronaldo, quem brilhou no time português foi o desconhecido Eduardo, goleiro, que até conseguiu transferência.Ufa...quantos jovens craques teremos em Brasil-2014...

Teve bons jogos, ao contrário da Copa anterior, e do que muitas pessoas falam, impondo um futebol moderno, no qual várias seleções poderão surpreender novamente.

Nomes muito falados antes da Copa sumiram, como as seleções de Brasil e Argentina ,e França e Itália, que aliás nem conseguiram passar pelas fases de grupos. As finalistas da última Copa quiseram viver de passado, mas não funcionou. E as duas principais seleções sulamericanas sonhavam em, pela primeira vez, decidir a Copa, caíram nas quartas, sofrendo o fato de não terem um técnico de verdade, e principalmente, bons jogadores, o Brasil necessitando de ofensivos e a Argentina de defensivos. A Inglaterra não apresentou um futebol digno de estar no rol dos favoritos em nenhum momento. Aliás, se ganhou apenas em 1966, em casa, nunca mais chegou na final, e não tem tido resultados nos últimos anos, por que é favorita ainda?

Jogadores já consagrados, Kaká, Cristiano Ronaldo, Lionel Messi, Wayne Rooney,Fabio Cannavaro, Frank Lampard, Steven Gerrard, Pirlo, e Thierry Henry não jogaram 1% do máximo que  podem jogar, e já jogaram. Viram suas seleções serem eliminadas precocemente.

Personalidades, como Mick Jagger, o ''Zeca Pimenteira'' da Copa, que não ganhou um jogo na Copa, seu oposto, o polvo Paul, que não errou nenhum palpite, o carrancudo Felipe Melo, que fez tudo o que foi temido ao seu respeito, a deusa paraguaia Larissa Riquelme, que aumentou em mais de 100% os simpatizantes da seleção guaraní, os técnicos Dunga e Maradona, que fizeram jus às suas carreiras de treinador antes de suas seleções, e até o goleiro Bruno. Mas, Bruno não foi à Copa. Sim, mas ganhou, em alguns momentos, mais holofotes do que o Mundial, foram muito comentadas, durante este mês de Copa.

Teve uma final inédita, Holanda e Espanha, países que nunca haviam conquistado a Taça. Essas duas seleções fizeram um Mundial perfeito. Campanhas irretocáveis desde as Eliminatórias. A seleção laranja seguiu seu estilo de jogo, (surgido com Rinus Michels, é sempre bom, lembrar) e uniu com um de futebol de resultados, de jogadores frios, que não sentiram o peso de uma Copa. Sneijder foi o maestro, como se esperava, mas além disso, decidiu. Fez 5 gols, dois contra a nossa seleção. Robben conseguiu ser um dos melhores da Copa, com apenas uma jogada: cortar para a esquerda e bater.Poderia ter sido o autor do gol do título. Kuyt é o menos badalado, mas foi muito perigoso. Van Persie não brilhou, mas incomodou. E a defesa, com Stekelenburg, van der Wiel, Heitinga, Mathijsen e Gio, aliada a dupla de volantes De Jong e Van Bommel foi sólida. Méritos ao técnico bert van Marwijk. Perderam a final, mas fizeram história nesta Copa.

E trouxe a Espanha para o clube de campeões mundiais. Time bravo, forte, guerreiro, aguerrido, que soube aturar as críticas, de que nunca chegaram e nunca chegariam, perdeu na estreia contra a Suíça e foi duramente criticada. Seu futebol é paciente. Ficam girando a bola no campo do adversário, até acertarem um passe. Um bom ataque e uma grande defesa. Casillas chegou à Copa por baixo, e caiu mais ainda após o primeiro jogo, sendo criticado inclusive por sua namorada estar por perto. Salvou dois contra-ataques mortais, nos pés de Robben e merece se juntar a nomes como Varela,Fritz Walter, Bellini, Mauro, Moore, Carlos Alberto, Beckenbauer, Passarela, Zoff, Maradona, Matthaus, Dunga, Deschamps, Cafu e Cannavaro como capitães que levantaram a taça. Sergio Ramos, Piqué, Capdevilla e Sergio Busquets transformaram esta seleção na campeã com melhor defesa. Puyol mostrou a raça de sempre, e levou a seleção à final, em um gol de cabeça, no alto de seus 178 cm. Não preciso nem comentar de Xabi Alonso e Xavi, que com uma categoria impressionantes, foram as ''chaves'' do título. David Villa foi decisivo, e artilheiro, como se esperava. Pedro, o novato, mostrou seu futebol abusado, moleque, mesmo perdendo um gol incrível na semifinal. Torres, o autor do gol do título europeu foi mal, mas mereceu esta conquista. Assim como Fábregas, Victor Valdés, Llorente, Silva e Jesús Navas, que nem jogaram direito. Vicente del Bosque, o sério técnico espanhol, substituiu Aragonés em grande estilo. E deixei por último o autor do gol do título, Andrés Iniesta Luján, que foi o abençoado do dia de hoje, premiado merecidamente com o gol do campeonato. Revelado pelo Barça, onde está até hoje,o quinto melhor do ano de 2009 joga muito. Defende bem, ataca melhor ainda, troca passes como ninguém e finaliza melhor que muitos atacantes. Colocou seu companheiro de equipe Messi no chinelo e ganhou um dos últimos títulos que faltava em seu currículo farto.

Então é isto pessoal, voltemos ao normal durante mais quatro anos. Ficará o espírito inigualável que se tem em Copas, aqui no Brasil, na África e no mundo inteiro. E vamos nos preparando, 2014 será aqui.